sexta-feira, 26 de março de 2010

Uma pausa para indicação

Bom Dia meu povo,

Olha só, hoje estou sem inspiração nenhuma. Sabe aqueles dias que você acorda e pensa: "Pra que eu tenho que levantar pra trabalhar?"Estou assim.Estou meio que fora de mim, com a cabeça em outro lugar. Mas enfim, isso não vem ao caso agora.
Nessas ocasiões é bom fazer uma indicação. E a minha é indicar um livro que comecei a ler hoje, mas que estou adorando: Um vida inventada(Autora: Maitê Proença). 
Isso, é aquela atriz bonita, do sorriso calmo, e olhar sereno. Nesse livro ela conta a sua trajetória, mas ao mesmo tempo dá uma lição de vida. Ninguém acredita que ela teve uma vida dessas que ela conta no livro.
Postarei aqui uma parte que ela se definiu um pouco, e que me identifiquei muito:

"Não sou certinha, não sou calma, não penso uma coisa só, o sangue me corre quente, sou da briga e quero brincar, dou risada alto, falo baixo, tenho explosões de alegria e fico muito, muito triste. Mas não me faço de coitadinha e não choro à toa ou por falta de coragem. As lágrimas pra mim foram um aprendizado, e se hoje elas me vêm é sempre em momentos em que tudo está de tal forma genuíno que não há como não se comover."(Pág.12)

Leiam pessoal, leiam o quanto puderem, pois não há prazer melhor do que mergulhar no mundo da leitura.

Beijos a todos os que estão acompanhando aqui.

4 comentários:

  1. Thiago Mozeli Resende28 de março de 2010 05:40

    É Mayara tenho comentado tanto seu blog que vou acabar tendo que montar o meu, RSRSRSRs.
    Mas aproveitando o momento "indicação" da Mayara, quero indicar um filme, OS SUBSTITUTOS, com Bruce Willis.
    Esse filme conta uma história futurista, em que foi inventado robôs controlados pela mente para substituir os homens. Cada pessoa tem o seu, assim chamado, "Substituto" (não vi um substitudo gordim, RSRSRS). A pessoa fica em sua casa deitado, no quarto, conectado a uma espécie de máquina que controla seu substituto. Sendo assim ninguém sai de casa, a vida social é só através dos Substitutos.
    Bem, alguns "Cultos" que leram essa pequena sinópse que fiz podem estar pensando "Nossa que ridículo esse filme" ou "Filme sem cultura", mas se você olhar nas entrelinhas da história, e comparar, poderá perceber que a vida social de hoje em dia não é diferente. Não é mesmo? Concordam? Compare o tempo que ficamos nas "Redes Sociais": Orkut, Twitter; Facebook; entre outras; ou no MSN; Skype; salas de bate papo, com o tempo que vocês conversam pessoalmente com uma pessoa, saem para bater papo, e tal.
    Não sei se foi intencional, mas o filme me deu essa impressão.

    PS: Uma vez eu estava no Manicômio Judiciário em Vitória, acompanhando uma pessoa devido uma ordem judícial. Enquanto aguardava uma pessoa senhor sentou no sofá que ficava de frente ao meu, e puxou assunto, nas viradas que a conversa deu, ele começou a criticar aquilo que ele definiu como "Vida Virtual", e me fez a seguinte pergunta, "Me fala o que você se lembra da sua infância?", então sem entender a perguntar relatei as bagunças, travessuras, as vezes que fugia de bicicleta pra tomar banho de rio escondido, das vezes que roubava fruta no quintal dos vizinhos, das brigas, etc. Após meu relatório ele disse as seguintes palavras "Viu quantas lembranças legais sua geração tem. Essa geração de hoje quando crescer a única lembrança que terão é a do próprio quarto".
    Pensem nisso.

    Primeiro comentário sem ser anônimo, rsrsrsrs.

    ResponderExcluir
  2. Thiago Mozeli Resende28 de março de 2010 05:46

    DEsculpme a amolação.
    Mas eu já ia me esquecendo.
    E as lojas virtuais?
    A gente controla nossa vida sem sair do nosso quarto.

    ResponderExcluir
  3. interessante esta indicação, não levava muita fé neste livro...

    http://celuliteseoutrasestranhezasdemulher.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  4. Gostei muito da sua dica!
    Vou procurar o livro!!Abração

    ResponderExcluir